Pular para o conteúdo

A cidade sagrada, Pushkar


Saímos de Jaipur no dia 08 de Março com destino a Pushkar. Foram 5 horas de viagem na sua maioria em estrada de terra, passando por inúmeras vilas.

Dentro do Rajastão, Jaipur é uma cidade grande e mais moderna, em contrapartida Pushkar é uma cidade pequena mas extremamente charmosa que é impossível não recomendar visitar.

IMG_2346

Incríveis feiras de Pushkar.

Pushkar é uma cidade sagrada por ser a única cidade do mundo a ter um templo do Deus Brahma. O Deus Brahma é um dos deuses da trilogia, Brahma (o criador), Visnhu (o preservador) e Krishna (o destruidor). Gente de toda a Índia viaja até Pushkar para se benzer no lago, rezar, fazer promessas e fazer doações.

Chegamos em Pushkar a noite e passamos por diversos hotéis maravilhosos, verdadeiros palácios. Palácios reais! Porque uma coisa que você verá na Índia é que qualquer hotelzinho pequeno e barato vai ter na frente do nome: Palace ou Resort! haha Então meu caro…não se iluda com o nome e pesquise sempre por referencias em sites como o booking, onde você consegue reservar o seu hotel.

Comemos a noite no hotel um lanche de queijo. Pushkar por ser uma cidade sagrada em alguns lugares não servem carne (no caso, carne de frango).

Fomos para Pushkar com o objetivo de andar de camelo. Saímos do hotel bem cedo e fomos fazer algumas atividades antes do passeio de camelo. A nossa primeira parada foi no templo do Deus Brahma e em seguida fomos visitar o holi lake (lago sagrado) onde participamos de uma celebração.

IMG_2348

(Imagem: Tamyres Carvalho)


O passeio de camelo foi muito divertido e diferente, a vista era linda e exatamente o Rajastão que vemos na TV. La em Pushkar tem uma feira de camelos famosíssima que acontece no mês de Novembro (vale a pena ir pra lá nessa época). O mais engraçado dessa viagem, é que fomos para Pushkar com o principal objetivo de andar de camelo…mas, pelo menos para mim a visita ao templo do Deus Brahma e a visita ao lago sagrado foram as coisas que mais me conquistaram naquele lugar. Para ser mais precisa, de todos os templos que visitei na Índia esse foi o templo que eu mais me identifiquei.

IMG_2305

Entrada do Brahma Temple.

IMG_2320

Lago sagrado.

A história do TemploUma lenda fascinante conta a história deste famoso templo em Pushkar. Lord Brahma matou um demônio chamado Vajranabha com sua arma, uma flor de lótus. Uma vez que o demônio foi morto, as pétalas caíram na Terra, criando os três lagos de Pushkar. Simbolizando as pétalas de lótus que caíram das mãos de Lord Brahma foi criada a cidade de Pushkar (“push” significa lótus e “kar” significa mão em sânscrito).

Lord Brahma, então, desceu à Terra para realizar uma celebração sagrada (holy yagna). Quando chegou a hora sagrada para a oferta final em frente a fogueira sagrada, a esposa de Lord Brahma, Savitri avisou que chegaria atrasada. Irritado com sua demora e com o risco do fracasso desta celebração sagrada, Lord Brahma pediu a Lord Indra para encontrar-lhe uma nova esposa. Ele então se casou com uma filha de “Gujar”, que foi purificada. Vishnu, Shiva e todos os brâmanes santificaram este encontro. A nova esposa foi então renomeada como Gayatri.

Quando a Deusa Savitri finalmente chegou, ela ficou (puta da vida) muito brava ao ver o marido casado com outra. Ela, então, amaldiçoou Brahma para que ele nunca pudesse ser adorado em qualquer lugar do mundo, amaldiçoou Vishnu para se separar de sua esposa, amaldiçoou Indra para ser facilmente derrotado em batalhas e todos os sacerdotes brâmanes ficassem pobres. Savitri mais tarde reduziu sua maldição e permitiu que Brahma fosse adorado somente em Pushkar.

Minolta DSC

Pintura da celebração sagrada. Brahma Temple.

Savitri e Gayatri mencionadas na lenda também têm templos construídos para elas em Pushkar, mas em montes em extremidades opostas do lago. A primeira esposa Savitri, que amaldiçoou Brahma, por ainda estar irritada e furiosa tem seu santuário na colina mais alta de Pushkar, enquanto Gayatri por medo da ira de Savatri senta-se em uma colina baixa no outro extremo, no lado oriental do lago.

Quanto tempo ficar

Eu fiz a besteira de ficar apenas um dia. Recomendo ficar de dois a três dias para aproveitar com calma a cidade. Muitos turistas mochileiros ou que buscam um roteiro espiritual vão para Pushkar, que tem um clima muito parecido com Rishikesh. Vou falar mais de Rishikesh em outro post!

Onde ficar

Eu sempre pesquiso pelo booking.com e sempre consigo boas reservas, ainda mais se tratando de um universo bem diferente do meu, encontrei ótimas opções de quarto individual a um bom preço e com boas avaliações!

Informação

Nós participamos de uma celebração no lago que foi interessantíssima. Parte da celebração incluía uma doação, onde eles pediam entre 500 a 1000 rúpias por pessoa (1000 rúpias equivale em média 17 dólares). Você não é obrigado a fazer a doação, mas tenha em mente que em tudo na Índia será pedido alguma doação ou tip (gorjeta). Segundo o sacerdote a doação seria para alimentar os mais necessitados. Uma doação de 1000 rúpias pode alimentar até 1000 pessoas. Meu lado mais positivo acredita na boa fé das pessoas, então fiz a doação.

Vou falar mais sobre dicas de gorjetas em um post mais detalhado! 😉

Ficou alguma dúvida? Comenta no post que eu ajudo a esclarecer!

Até a próxima! :o)

Deixe um comentário :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: