A dura verdade sobre a crise dos refugiados e os voluntários internacionais

SOBRE A CRISE DOS REFUGIADOS

Existem mais de 50 milhões de refugiados no mundo nesse momento. Esta é a primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial que tantas pessoas tem abandonado suas casas em perigosas jornadas em busca de segurança.

Para nós isso não é tão fácil de entender, sentados em nossas casas confortáveis, usando WIFI para ler este artigo. Mas, para outros, sua rotina diária está agora na estrada, esperando a chance de construir uma nova vida. A crise dos refugiados é complexa, mas vou tentar dar uma visão geral: a maioria dos refugiados está fugindo da violência e da agitação no Oriente Médio, com os principais países representados como Síria, Afeganistão e Iraque. Há também refugiados que tentam deixar as economias em ruínas e os governos abusivos, como os do Kosovo e do Paquistão. E o fato de que alguns dos refugiados estão procurando oportunidades econômicas, em vez de correrem o risco de perder a vida, que alguns meios de comunicação se referem à crise dos refugiados como uma “crise dos migrantes”.

8151750-3x2-700x467

Milhares de cidadãos tem sido forçados a sair de seus lares em busca de segurança

A maioria dos refugiados se dirigem para a Europa, principalmente pelo mar, e o país que recebe mais refugiados é a Alemanha. Enquanto os alemães inicialmente acolheram os refugiados com os braços abertos, os ataques subsequentes alegadamente realizados por refugiados têm deixado muitas pessoas com medo e o apoio ao recebimento de refugiados despencou. A Hungria e a Suécia também aceitaram muitos refugiados, mesmo quando a Hungria tentou fechar suas fronteiras. O mundo foi movido pela situação dos refugiados e, embora não esteja nos holofotes ou a nossa vista o tempo todo, a crise dos refugiados ainda é uma crise.

MUITOS DE NÓS ESTÃO PERGUNTANDO, COMO PODEMOS AJUDAR OS REFUGIADOS? PODEMOS SER VOLUNTÁRIOS?
Zaatari_refugee_camp,_Jordan_(3)

Se você fala alguns dos idiomas mais usados no mediterrâneo existem ainda mais formas de ajudar.

A resposta para isso é – depende. Depende de você e de onde você está.

É o auge do fenômeno do “salvador” pensar que nós, voluntários relativamente privilegiados sempre somos úteis, o tempo todo, apenas aparecendo no lugar. Em vez disso, muitos voluntários podem tornar as coisas mais difíceis aparecendo para trabalhar sem as habilidades e recursos necessários para se sustentar, fazendo assim o oposto de conseguir ajudar verdadeiramente os outros. Vimos isso acontecer após o terremoto no Haiti, onde voluntários bem intencionados inundaram a ilha, e acabaram sendo apenas mais um fardo para os trabalhadores humanitários em dificuldades e os haitianos locais. Após o terremoto no Nepal muitos voluntários foram convidados a ficar em casa e enviar doações ao invés de ir até lá. Da mesma forma como devemos ser cuidadosos com o trabalho voluntário em resposta a desastres naturais como terremotos, também precisamos ter cuidado em situações humanitárias complexas, como a crise dos refugiados.
Se você não pode falar o idioma local, quem vai traduzir para você? Se você não tem condições de bancar sua hospedagem, alimentação e transporte, quem vai fazer essas coisas? Você pode acabar usando o valioso tempo de um trabalhador local que já tem muito trabalho a fazer. Devemos avaliar cuidadosamente a situação, o nosso próprio conjunto de habilidades, e os nossos pontos fortes antes de saltar e se voluntariar com refugiados no exterior.
NÃO DESISTA DA IDÉIA DE SE VOLUNTARIAR

Não devemos desistir do voluntariado por inteiro. Quando a crise dos refugiados começou e refugiados desesperados inundaram a Grécia, foram voluntários e pequenas organizações locais que estavam salvando vidas e apoiando os refugiados. Enquanto as organizações maiores se moviam devagar, recebendo tudo em ordem, os voluntários locais se lançaram em ação. O voluntariado pode, e muitas vezes, salvar o dia! Ainda há muita necessidade, e, se você deseja se voluntariar diretamente com os refugiados, aqui estão os cenários em que o voluntariado poderia realmente ser útil. 🙂
the-cold-hard-truth-about-the-refugee-crisis-and-international-volunteers-1-1465872166.png
1. Você possui habilidades e experiência necessárias.

A maioria das oportunidades de voluntariado com refugiados exige que você tenha alguma experiência relevante, pelo menos, a experiência trabalhando culturalmente. Além disso, as habilidades trabalhando com populações vulneráveis, em reassentamento, ensino, assistência médica, aconselhamento e assistência jurídica são de grande utilidade. A experiência em situações de crise e vulnerabilidade de qualquer tipo é muito relevante. Certifique-se de que qualquer organização com a qual você esteja trabalhando perguntará sobre seus antecedentes (e deve fazer uma verificação de antecedentes), então eles não estão deixando ninguém despreparado ir trabalhar com populações vulneráveis.

2. Você fala o idioma.

Os tradutores são sempre úteis! E assim, ninguém mais teria que se dedicar a traduzir para você. Você fala no mínimo o Inglês, ou árabe, Pashto, francês, Dari, Farsi, albanês ou qualquer outro idioma necessário? Fantástico!
E o que há de melhor em habilidades de linguagem é que você pode até mesmo ajudar remotamente, traduzindo documentos, notícias ou posts de blogs para diferentes idiomas.

3. Você pode se manter.

Se você pode se manter, comprando seu vôo, pagando sua hospedagem, sua comida e seu seguro de viagem (não se esqueça!), Então você não precisará obter ajuda financeira de qualquer organização, que poderá usar esse dinheiro para ir diretamente aos refugiados.
Claro, muitas organizações estão felizes em ajudar a pagar salários pequenos ou despesas de viagem para voluntários qualificados, e se eles tiverem o dinheiro, isso é legal! Mas ser você é capaz de se sustentar, e puder pedir-lhes para usar o dinheiro onde mais é necessário com os refugiados, seria ainda mais legal. 😉

Continuar lendo

Tudo o que você precisa saber para ser voluntario no exterior com refugiados

Todos os dias turbulência política e guerras forçam pessoas a saírem de suas próprias casas e países. Tendo que recomeçar suas vidas do nada, esses refugiados muitas vezes precisam lutar diariamente para receber até mesmo as necessidades humanas mais básicas.

Ao se voluntariar no exterior em suporte a refugiados você pode fazer a diferença. Normalmente, esses projetos envolverão trabalhar em um campo de refugiados, ensinar inglês, fornecer assistência médica (se você estiver qualificado), ou apoiar organizações – como o IRC – International Rescue Committee – por meio de trabalhos administrativos.

Tenha em mente que também há muitas maneiras de se envolver a longo prazo com o suporte á refugiados em casa, e você não precisa se voluntariar no exterior para ajudar a causa.

Uma maneira de ajudar é ser voluntário no exterior com uma organização focada em refugiados. Mas o que você deve considerar antes de comprar uma passagem de avião? Onde você pode ir? Que qualificações você precisa? E onde você começa mesmo a busca? Leia mais para descobrir!

TURKEY-SYRIA-KURDS-REFUGEES

Entrada de refugiados Sírios na Turquia

Continuar lendo

Arrumando a mochila no Facebook 

Depois de muito enrolar, agora que estou com mais tempo livre devido à reta final do MBA \o/ decidi estender o Arrumando a mochila para o facebook 🙂

Lá além dos textos que geralmente público aqui, também vou compartilhar fotos e vídeos de viagem. 

Dá uma olhada lá! Curte e compartilhe! ❤️

https://m.facebook.com/arrumandoamochila/

Diário de voluntária -Desistir

Prometi que escreveria sempre que fosse fazer uma visita no hospital onde sou voluntária, mas dessa vez demorei um pouco pra conseguir colocar em palavras a experiência que tive no último dia 30.

Foi um dia super cansativo no trabalho, eu estava responsável por um evento que a custo de bastante esforço e uma noite anterior mal dormida, foi um sucesso. Mas por conta disso saí do trabalho as 18h sendo que precisava estar no hospital as 19h. Parece tempo suficiente, mas não quando se mora na capital do transito no país – São Paulo. Fui correndo pra casa, arrumei minhas coisas e fui pro hospital mesmo um tanto exausta.

Chegando lá o Paulo (que é a minha dupla no hospital) estava com outra doutora voluntária que atende com ele outros dias da semana e que nesse dia iria atender com nós dois. Depois de atender nos andares de Clínica cirúrgica, transplante de rim e de fígado ficamos num impasse de ir para a UTI ou para a Oncologia.

A outra doutora voluntária queria seguir o plano tradicional de ir para a Oncologia, mas no último atendimento que eu o Paulo fizemos…prometemos para a responsável pela UTI que iríamos passar lá todo mês (você pode ler sobre esse episódio clicando aqui), e então seguimos para a UTI.

Continuar lendo

Diário de voluntária – Equipe médica 

Quando eu decidi criar um diário com as experiências do trabalho voluntário no hospital, pensei em escrever algo sempre depois de ir fazer as visitas no hospital. O que vem ocorrendo mensalmente.

O dia de hoje começou bem tranquilo, tão tranquilo que cheguei a pensar em não escrever nada hoje. Costumo atender no hospital às terças, porém nessa semana meu dupla teve um compromisso e por isso fomos na quarta. Devido a isso, encontramos outra dupla de voluntários da mesma ONG e combinamos de cada dupla ficar com um número respectivo de andares.

Continuar lendo

Diário de voluntária – Retornando 

Depois de um longo período afastada dos hospitais, eu vesti hoje minha personagem e na cia de um veterano da ONG voltei para a atuação como doutora palhaço.

Entre idas e vindas do trabalho voluntário nos hospitais, seja por estudo, distância ou outros dilemas pessoais, esse ano completo três anos de missão.

Quando eu comecei lá em 2013, logo depois que acabei a faculdade, eu achava bonito o trabalho dos Doutores da Alegria e também a história do Patch Adams e isso me motivou.

Claro que é muito mais, descobri depois, e  redescobri hoje. Visitamos quatro andares de um hospital de transplantes. No sexto andar era de cirurgia geral, no quinto transplante de rim, no quarto transplante de fígado e no terceiro era a oncologia.

Continuar lendo

Como ser voluntário da ONU

Definitivamente está na minha lista de desejos ser voluntária pela ONU (UN). E se caso esse desejo também esteja na sua lista, mas você está a um passo a mais do que eu de realizar…segue abaixo as dicas de como ser protagonista no mundo ❤



O QUE É O PROGRAMA DE VOLUNTÁRIOS DA ONU?

Criado em 1971 a pedido dos países membros da ONU, o Programa de Voluntários das Nações Unidas (UNV) tem por objetivo ser uma fonte estratégica de conhecimento e assistência sobre o papel e a contribuição do voluntariado para os programas de desenvolvimento. Desde aquele ano, mais de 30 mil pessoas participaram do Programa. O UNV está localizado em Bonn (Alemanha), e atualmente atua em mais de 140 países, sendo representado no mundo através dos escritórios do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

COMO É O TRABALHO?

Continuar lendo

O senhor é o que?

Essa é sem dúvida a história de um dos maiores micos da minha vida. E pra te colocar no contexto, vou começar a história de quando decidi fazer trabalho voluntário.

Quando eu era mais nova o meu sonho era fazer Relações Internacionais, um dos motivos principais é porque eu queria ser Diplomata e poder fazer algo para mudar o mundo. Por diversos motivos eu mudei o meu caminho, e fico até feliz que isso tenha acontecido, mas uma coisa não mudou e quando eu me formei na faculdade no final de 2012 decidi buscar algo que me fizesse sentir que poderia mudar a vida de alguém.

Foi então no começo de 2013, quando eu estava procrastinando no facebook que vi um post de uma página chamada ONG Brasil, falando de inscrições para ser voluntário em hospitais pela ONG Canto Cidadão. Nesse momento uma lâmpada acendeu na minha cabeça. Continuar lendo

Pintura voluntária na APAE :)

Hoje eu estou morta, dolorida e cansada. Mas me sentindo muita e muito feliz.

Na empresa que eu trabalho a Kimberly Clark, realizou uma atividade de trabalho voluntário em uma instituição chamada APAE (Associação de pais e amigos dos excepcionais), na cidade de Suzano.

O objetivo principal foi atuarmos de forma mais participativa em um dos valores da empresa que é a Responsabilidade social.

No dia de hoje pintamos a APAE inteira e deixamos nossa marca lá! Em troca recebemos um delicioso almoço e a atenção dos funcionários da APAE.

Segue algumas fotos de como foi o dia de hoje! 🙂 ❤

IMG_0912

Nossa marca na APAE

Continuar lendo

Quando eu escolhi a África do Sul

No começo de 2013 eu decidi viajar, e decidi que não seria para um lugar convencional eu queria fugir do óbvio. Desse desejo veio a África do Sul. Comecei a me planejar para fazer trabalho voluntário em Janeiro de 2013 com férias planejadas para Outubro do mesmo ano.

10464158_768998596478613_8480965784047803490_n

Cape Point – África do Sul (Foto por: Dani)

Comecei decidindo pelos tipos de trabalho voluntário e como não consegui escolher apenas um, decidi por fazer duas semanas de trabalho com animais e duas semanas de trabalho com crianças. Decidi por fazer trabalho voluntário porque Continuar lendo