Surfando em mar de tubarão

Sabe quando mesmo depois de adulto sua mãe diz pra você tomar cuidado, não chegar muito tarde, olhar por onde anda e não fazer besteiras? Então…algumas histórias eu contei pra ela só depois de fazer pra não causar muito trauma e reduzir as broncas!

Uma delas aconteceu em Dezembro do ano passado, quando eu estava a trabalho em Cape Town, depois de dois longos anos desde a primeira vez que eu havia estado na cidade mãe. Em um belo dia, seguindo o meu famoso Carpe Diem – para quem não conhece, é uma expressão que vem do latim e significa: Aproveite o dia- pois bem, em um Carpe Diem decidi procurar por aulas de Surf.

O mar da África do Sul é conhecido por ser um habitat natural do grande tubarão branco (Great white shark), e foi inclusive na África do Sul, em Jeffrey’s bay que o tricampeão mundial Mike Fanning levou um baita susto ao sofrer um ataque de tubarão branco em um mundial de surf no ano passado.

Mesmo sabendo disso, e mesmo depois de ter feito um mergulho traumatizante com tubarão branco dois anos antes também na África do Sul mais precisamente em Mossel Bay, eu decidi que iria fazer pelo menos uma aula de surf. Pesquisei bastante e um motorista da empresa me recomendou uma escola que ele conhece e que fica em uma praia famosa de Cape Town chamada Muizenberg. Continuar lendo

Quando eu crescer, eu serei forte 

Essa é a história do dia que a minha cabeça entrou em colapso.

Tudo começou em Outubro de 2013 quando eu fui para a África do Sul durante as férias para fazer trabalho voluntário. Eu fiquei um mês exato, sendo uma parte em Port Elizabeth trabalhando em uma reserva com leões e tigres, e uma parte em Cape Town trabalhando com crianças carentes de uma escolinha.

A África do Sul me tira suspiros até hoje, então você imagina como foi ir embora de lá. Para me deixar mais triste ainda, eu fui embora alguns dias antes de um evento que seria realizado pela Southern Ambition em uma township local (Township é como eles chamam as comunidades carentes). Nesse evento, um grupo de pessoas iria para a Township brincar com as crianças, fazer pinturas nos rostos e conhecer o local.

Fiquei com o coração partido por não poder ir. Mas…o mundo dá incríveis voltas e no ano passado eu tive a oportunidade de voltar para Cape Town exatamente dois anos depois da minha partida.  Continuar lendo

Como alcançar a felicidade? De volta a África do Sul

Antes de contar como eu reencontrei a minha felicidade, tem um texto que li hoje e que me inspirou a contar um pouco essa história. O texto começa assim:

Como alcançar a felicidade

Para começarmos, podemos dividir todo tipo de felicidade e sofrimento em duas categorias principais: mental e física.

Das duas, é a mente que exerce a maior influência em muitos de nós. A menos que estejamos gravemente doentes, ou privados de nossas necessidades básicas, a condição física representa um papel secundário na vida. Se o corpo está satisfeito, praticamente o ignoramos. A mente, entretanto, registra cada evento, por mais pequeno que seja. Por isso, deveríamos devotar nossos mais sérios esforços à produção da paz mental.

          A partir de minha própria limitada experiência, descobri que o mais alto grau de tranqüilidade interior vem do desenvolvimento do amor e da compaixão. Quanto mais nos ocuparmos com a felicidade alheia, maior se tornará nossa sensação de bem-estar. O cultivo de sentimentos amorosos, calorosos e próximos para com os outros automaticamente descansa a mente. Isto ajuda a remover quaisquer temores ou inseguranças que possamos ter e, nos dá força para enfrentarmos quaisquer obstáculos que encontramos. É a principal fonte de sucesso na vida.

Continuar lendo