Como ajudar os refugiados sírios de todas as formas possíveis

Hoje li no facebook de uma amiga uma história recente que ela viveu, onde ela comentou com uma outra pessoa a respeito do que esta acontecendo em Aleppo na Síria. Ela disse que sentia muito pelo que estava acontecendo e que estava pensando em alguma forma ajudar. A pessoa que estava com ela perguntou porque ela não ajudava quem estava perto, ao invés de olhar para fora do nosso quintal. Ela divagou um pouco sobre o assunto na sua página, mencionando como as pessoas as vezes podem fazer julgamentos e críticas, mesmo quando sua única intenção é ajudar uma outra pessoa. Eu assim como outras pessoas que leram a sua história ficamos com lágrimas de raiva ou de tristeza por saber que tem pessoas que pensam dessa forma.

A situação dos refugiados não é de hoje, e não é problema somente da Síria, ou da Europa, ou dos Estados Unidos. Os refugiados somos nós, mas com menos sorte, do outro lado da TV, sem opção de mudar a foto no facebook e dizer que sente muito. Eles realmente sentem, e a pergunta a ser feita é: O que você sente a respeito? E o que pode fazer a respeito?

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais de um ano atrás eu havia escrito um outro texto contanto algumas formas de ajudar as crianças na Síria, hoje decidi atualizar esse texto e incluir algumas outras formas…até mais simples, mas que podem fazer uma grande diferença.

 

ATITUDE NÚMERO 1: DOAÇÕES

Ajudar os milhões de homens, mulheres e crianças atingidos pela guerra na Síria pode parecer uma tarefa impossível se você estiver á milhares de quilômetros de distância, mas instituições de caridade em todo o mundo estão fazendo um trabalho incrível nesta frente – e eles precisam do seu apoio.

Existem muitos meios de ajudar com recursos, e a partir de muitas instituições sérias. Segue algumas delas: Continuar lendo

Projeto Mini Gentilezas – Mudar o mundo

Eu sou o tipo de pessoa otimista que acredita realmente que existem mais pessoas boas do que más no mundo, que existe final feliz, que o que fazemos de bom para alguém retorna para nós, e que se eu comer e ninguém estiver olhando a caloria não conta. 😉

Então se você sente que esta fazendo errado por sonhar, colocar o coração na frente e acreditar nas pessoas, saiba que é de pessoas como você que o mundo precisa. E esse texto é pra você.

Empatia é a palavra que melhor resume esse projeto e essa instituição chamada Argilando. O objetivo do projeto Mini Gentilezas é doar produtos de higiene para moradores de rua. E é muito simples, aquela pasta de dente ou shampoozinho que você ganha no avião ou no hotel e que nem sempre acaba usando, agora pode levar um pouco mais de dignidade para aqueles que precisam.

O projeto Mini Gentilezas, surgiu de um outro projeto chamado 365 Dias de Agir, onde o objetivo é preencher um calendário de 1 ano com ações positivas, promovendo o bem e colaborando para uma sociedade mais generosa e participativa 🙂

13339580_289043801439571_2734479663852968853_n

Continuar lendo

Redenção – A história real por trás do filme 

Um dos meus filmes favoritos se chama Redenção ou em inglês “The machine gun preacher”, é um filme baseado em uma história fantástica de superação e determinação, estrelado por Gerard Butler interpretando o pastor Sam Childers.

Cena do filme Redenção (The machine gun preacher)

Cena do filme Redenção (The machine gun preacher)

O filme conta a real história de Sam Childers e sua luta para ajudar as crianças no Sudão, uma região marcada por conflitos.

Continuar lendo

Freerice, usando conhecimento para doar alimentos!

Já pensou em poder ajudar a acabar com a fome do mundo com apenas um clique?

Pois hoje eu encontrei uma matéria muito interessante sobre uma pessoa chamada John Breen que em Outubro de 2007 criou o Freerice, um site que seria capaz de unir educação e nutrição com apenas alguns cliques.

Partindo de uma ideia simples, ele desenvolveu um projeto sem fins lucrativos que busca fornecer educação gratuita para todos e, consequentemente, ajudar a acabar com a fome mundial doando alimento para comunidades necessitadas. Funciona assim: os usuários testam seus conhecimentos em diversas áreas e, a cada resposta certa garantem 10 grãos de arroz doados através do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas, responsável por fornecer ajuda humanitária para mais de 75 países.

Em países onde esse alimento costuma fazer parte da dieta da população, o Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas entrega cerca de 400 gramas por pessoa diariamente, precisando ter em média 19.200 grãos para cumprir sua meta.

Nepal May 2008 Free rice distribution in Sanischare Camp and Sprinkles distribution in Same Camp in Nepal. Photo: WFP/James Giambrone

Nepal May 2008
Photo: WFP/James Giambrone

Pouco menos de um ano após seu lançamento, o site já registrava uma média de 40.000 visitas diárias e mais de Continuar lendo

Crianças e doações na Índia

Em 2013 eu fui para a Africa do Sul onde trabalhei como voluntária. Uma das razões que me fizeram decidir viajar para trabalhar foi o fato de que eu iria viajar sozinha, e dessa forma, poderia conhecer pessoas diferentes. Como eu iria ficar apenas um mês não quis fazer um curso de inglês ou algo do tipo, claro que eu não sou contra, cada um escolhe a opção que se encaixa melhor! E a minha escolha foi o trabalho voluntário.

Quando comecei a planejar ir para a Índia, lá pro final de 2013 logo depois que voltei da África, eu estava planejando uma nova viagem sozinha. Todo mundo pra quem eu falava sobre a Índia me olhava com cara de espanto e então eu nem convidava rs

Conforme foi passando o tempo, decidiu ir a minha mãe e a minha irmã (a minha mãe decidiu ir ao ver a minha experiência na África, onde ela dizia que a vida toda não havia aproveitado 1% do que eu já aproveitei). A Índia é um dos países do mundo com a maior imersão cultural e com os maiores contrastes comparando com a sociedade que vivemos.

Enfim, viajar em grupo foi uma experiência nova pra mim. Passei o ano todo de 2014 pesquisando e buscando informações sobre a Índia igual provavelmente você faz quando vai viajar para algum lugar diferente (espero que esse blog esteja ajudando), e o trabalho voluntário dessa vez não foi uma opção justamente porque eu não estava sozinha. E a não ser que o seu grupo pretenda fazer o mesmo que você, você não pode impor nada. Em grupo prevalece sempre a democracia!

Leia mais sobre Trabalho voluntário clicando aqui.

Mesmo não indo para a Índia para trabalhar, eu considerei outra opção que se encaixa no contexto social do trabalho voluntário que seria levar doações.

O guia da Índia que nos acompanhou nos primeiros dias da nossa viagem e com quem eu já estava conversando a meses, nos deu uma opção de levar doações, e Continuar lendo