Diário de voluntária -Desistir

Prometi que escreveria sempre que fosse fazer uma visita no hospital onde sou voluntária, mas dessa vez demorei um pouco pra conseguir colocar em palavras a experiência que tive no último dia 30.

Foi um dia super cansativo no trabalho, eu estava responsável por um evento que a custo de bastante esforço e uma noite anterior mal dormida, foi um sucesso. Mas por conta disso saí do trabalho as 18h sendo que precisava estar no hospital as 19h. Parece tempo suficiente, mas não quando se mora na capital do transito no país – São Paulo. Fui correndo pra casa, arrumei minhas coisas e fui pro hospital mesmo um tanto exausta.

Chegando lá o Paulo (que é a minha dupla no hospital) estava com outra doutora voluntária que atende com ele outros dias da semana e que nesse dia iria atender com nós dois. Depois de atender nos andares de Clínica cirúrgica, transplante de rim e de fígado ficamos num impasse de ir para a UTI ou para a Oncologia.

A outra doutora voluntária queria seguir o plano tradicional de ir para a Oncologia, mas no último atendimento que eu o Paulo fizemos…prometemos para a responsável pela UTI que iríamos passar lá todo mês (você pode ler sobre esse episódio clicando aqui), e então seguimos para a UTI.

Continuar lendo

Diário de voluntária – Equipe médica 

Quando eu decidi criar um diário com as experiências do trabalho voluntário no hospital, pensei em escrever algo sempre depois de ir fazer as visitas no hospital. O que vem ocorrendo mensalmente.

O dia de hoje começou bem tranquilo, tão tranquilo que cheguei a pensar em não escrever nada hoje. Costumo atender no hospital às terças, porém nessa semana meu dupla teve um compromisso e por isso fomos na quarta. Devido a isso, encontramos outra dupla de voluntários da mesma ONG e combinamos de cada dupla ficar com um número respectivo de andares.

Continuar lendo

Diário de voluntária – Retornando 

Depois de um longo período afastada dos hospitais, eu vesti hoje minha personagem e na cia de um veterano da ONG voltei para a atuação como doutora palhaço.

Entre idas e vindas do trabalho voluntário nos hospitais, seja por estudo, distância ou outros dilemas pessoais, esse ano completo três anos de missão.

Quando eu comecei lá em 2013, logo depois que acabei a faculdade, eu achava bonito o trabalho dos Doutores da Alegria e também a história do Patch Adams e isso me motivou.

Claro que é muito mais, descobri depois, e  redescobri hoje. Visitamos quatro andares de um hospital de transplantes. No sexto andar era de cirurgia geral, no quinto transplante de rim, no quarto transplante de fígado e no terceiro era a oncologia.

Continuar lendo

O senhor é o que?

Essa é sem dúvida a história de um dos maiores micos da minha vida. E pra te colocar no contexto, vou começar a história de quando decidi fazer trabalho voluntário.

Quando eu era mais nova o meu sonho era fazer Relações Internacionais, um dos motivos principais é porque eu queria ser Diplomata e poder fazer algo para mudar o mundo. Por diversos motivos eu mudei o meu caminho, e fico até feliz que isso tenha acontecido, mas uma coisa não mudou e quando eu me formei na faculdade no final de 2012 decidi buscar algo que me fizesse sentir que poderia mudar a vida de alguém.

Foi então no começo de 2013, quando eu estava procrastinando no facebook que vi um post de uma página chamada ONG Brasil, falando de inscrições para ser voluntário em hospitais pela ONG Canto Cidadão. Nesse momento uma lâmpada acendeu na minha cabeça. Continuar lendo

Você tem fome de quê?

De Novembro a Dezembro do ano passado eu tive a oportunidade de voltar pra África do Sul a trabalho, pra quem é a primeira vez que lê o blog…da uma olhada em como foi a minha primeira vez nesse texto: Não viaje para a África do Sul.

Fui para Cape Town com dois colegas do trabalho e fiquei lá um total de 3 semanas. Ficamos hospedados em um hotel do lado de um cassino, e em uma das noites meus dois colegas estavam descansando no bar do hotel quando fizeram amizade com um homem que é de algum país no norte da África (e que eu não me lembro o nome 😦 ) e estava em Cape Town a trabalho. Eu desci para irmos jantar igual o combinado e fiz amizade com esse homem também. Como ele foi bastante simpático, eu o convidei pra jantar com nós três no cassino e ele aceitou de prontidão. Continuar lendo