Tudo o que você precisa saber para ser voluntario no exterior com refugiados

Todos os dias turbulência política e guerras forçam pessoas a saírem de suas próprias casas e países. Tendo que recomeçar suas vidas do nada, esses refugiados muitas vezes precisam lutar diariamente para receber até mesmo as necessidades humanas mais básicas.

Ao se voluntariar no exterior em suporte a refugiados você pode fazer a diferença. Normalmente, esses projetos envolverão trabalhar em um campo de refugiados, ensinar inglês, fornecer assistência médica (se você estiver qualificado), ou apoiar organizações – como o IRC – International Rescue Committee – por meio de trabalhos administrativos.

Tenha em mente que também há muitas maneiras de se envolver a longo prazo com o suporte á refugiados em casa, e você não precisa se voluntariar no exterior para ajudar a causa.

Uma maneira de ajudar é ser voluntário no exterior com uma organização focada em refugiados. Mas o que você deve considerar antes de comprar uma passagem de avião? Onde você pode ir? Que qualificações você precisa? E onde você começa mesmo a busca? Leia mais para descobrir!

TURKEY-SYRIA-KURDS-REFUGEES

Entrada de refugiados Sírios na Turquia

Como faço para escolher uma organização?

Antes de escolher qualquer organização para trabalhar, tem algumas perguntas importantes que você deve fazer. Por exemplo:

  • As questões dos refugiados são o foco principal dessa instituição?
  • Há quanto tempo trabalham com refugiados?
  • Eles empregam algum antigo refugiado, ou pessoas do mesmo país, etnia ou religião?
  • A instituição  é respeitável?
  • Quais são as precauções necessárias para garantir a sua segurança?
  • Quanto dura esse programa?
  • Quanto custa de participação no programa?
  • Como são suas condições de vida no local que escolhi?
  • Quantos outros voluntários existem no local?
  • Qual é o requisito de idade mínima?
  • Eles fornecem transporte, refeições, habitação ou até mesmo um salário?
  • Preciso de um visto para entrar no meu país de escolha?

Estas perguntas irão ajudá-lo a ter uma ideia do quanto o trabalho com refugiados é sério para que você possa decidir se é uma organização que vale a pena apoiar. Leia sobre a história da organização, veja se é possível encontrar qualquer informação financeira em seu site como um relatório anual. Busque pelo que você encontraria normalmente em um programa voluntário responsável.

 

Onde eu posso ir?

A  Síria é atualmente a que mais está nas notícias, mas ao redor do mundo pessoas também estão fugindo de suas casas devido à guerra, perseguição política, religiosa e desastres naturais. Muitos refugiados fogem da Síria e do Afeganistão para a Turquia, Hungria, Grécia e para outros países da Europa. Também há refugiados que fogem da Somália, Sudão, e há maior número de refugiados no Paquistão, Irã, Líbano e Jordânia do que na Europa.

Ao decidir aonde ir, considere o clima, idioma usado, custo dos vôos, de acomodação e de alimentação.

 

Vou estar seguro?

Qualquer organização respeitável deve dedicar tempo para responder a todas as suas perguntas sobre segurança, por isso não hesite em perguntar o máximo possível por e-mail ou Skype. Antes de ir, você também deve obter as recomendações da organização sobre as regras e protocolos de segurança para o seu local de trabalho. Por exemplo, alguns locais exigem uma identificação especial, enquanto outros recomendam que você não saia depois de escurecer.

É bom perguntar se você será responsável por sua própria habitação, e em caso afirmativo, que áreas eles recomendam para você ficar. Considere perguntar se você pode compartilhar acomodação com outros voluntários, o que permitirá que vocês olhem uns pelos outros e dividam o transporte até o trabalho. Se a organização oferecer alojamento, descubra onde esta localizado e como você vai chegar do aeroporto e do local de trabalho.

Você também pode consultar as advertências oficiais de seu governo de origem, mas tenha em mente que esses avisos têm seu próprio viés e podem ser usados ​​como uma ferramenta política.

 

Como devo planejar os custos?

Sua maior despesa provavelmente será o seu vôo, mas algumas organizações também exigem uma taxa de voluntariado – embora isso não seja tão comum entre as organizações que trabalham com refugiados. Pagar para ser voluntário pode parecer sem sentido, mas não é necessariamente uma bandeira vermelha, uma vez que a taxa pode cobrir acomodação, orientação para os voluntários, suporte durante a estadia no país, dentre muitas outras razões.

Algumas organizações maiores – especialmente aquelas administradas pela ONU ou pelos governos nacionais – podem te fornecer um pequeno salário e não exigem que você pague taxas.

 

Leia também: Como ser voluntário da ONU

 

Além dessas grandes despesas, considere acomodação, transporte público e alimentação. Se sua organização hospeda muitos voluntários, eles provavelmente terão estimativas de gastos para você, mas você também pode usar um site do Departamento de Estado dos EUA como ponto de partida: Custos diários por país (site em inglês)

 

O que preciso levar?

Certifique-se de perguntar que tipo de roupa é considerado profissional e culturalmente apropriado para o cenário. Também considere o clima e o tipo de trabalho que você vai fazer para que você possa se sentir confortável enquanto trabalha.

As condições em campos de refugiados variam amplamente, e há também um trabalho valioso a ser feito fora dos acampamentos, mas falando em geral você vai querer sapatos resistentes e roupas duráveis.

Você não vai querer ter que parar o que você está fazendo porque está com muito calor, muito frio, com algo rasgado, ou porque sua roupa está deixando alguém desconfortável.

 

Por quanto tempo devo ir?

Voluntários podem ajudar por tanto tempo quanto puderem, sendo esse tempo curto ou não. Algumas viagens voluntárias podem ocorrer ao longo de uma semana, enquanto algumas podem ocorrer durante vários meses e até passando de um ano. Você deve se voluntariar por quanto tempo você conseguir e por quanto tempo você se sentir confortável.

Se você for para um lugar distante a passagem aérea possivelmente será mais cara, portanto, o ideal seria ficar o máximo de tempo possível para aproveitar a oportunidade. Especialmente em projetos que trabalham com populações em situação de risco como refugiados, quanto mais tempo melhor. Quando você permanece em um local por mais tempo, você começa a conhecer melhor como a organização trabalha, e pode fornecer uma ajuda mais eficiente para eles.

Sendo assim, se ser voluntário em uma organização de refugiados é importante para você, existem maneiras de fazê-lo funcionar da melhor forma possível. Certifique-se de perguntar se a organização tem qualquer duração mínima para que não haja surpresas, e se não for o momento apropriado para você ficar pelo menos algumas semanas, considere voluntariado online (vou falar mais sobre isso em um outro post).

 

Jordânia

Refugiados na Jordânia

 

O que as organizações procuram em um voluntário?

Primeiro você deve ser apaixonado pelo voluntariado e para esta causa específica, ter uma forte consciência de comunicação intercultural e sensibilidade.

Em segundo lugar, certifique-se de que você está à altura dos desafios emocionais e físicos da colocação. Há muitas maneiras de você ajudar, mas se você não acha que vai ser capaz de lidar com um ambiente tumultuado ou trabalhar com um grande volume de pessoas, voluntariado no exterior com refugiados provavelmente não é o ideal para você.

Em terceiro lugar, os requisitos para o voluntariado variam de acordo com a organização, mas normalmente os voluntários com refugiados – semelhantes aos voluntários em situações de desastres naturais- tendem a se desviar para voluntários mais qualificados. No entanto, há uma grande necessidade de habilidades, como fotografia, manutenção, trabalhar na cozinha e ensinar, então continue procurando até encontrar o ideal para você!

 

Organizações que trabalham com refugiados no exterior

 

Mecanismos de procura de emprego para o trabalho humanitário no exterior

 

Dica: mude a pesquisa para “voluntário” ao procurar projetos nesses mecanismos de busca.

 

Que tipo de trabalho posso fazer?


Direcione sua busca nas habilidades que você possui atualmente. Algumas colocações exigirão indivíduos altamente qualificados, mas não todos. Por exemplo, se você é uma enfermeira, essas habilidades médicas podem ser extremamente valiosas quando se trabalha com refugiados. Se você quer dar aulas mas não tem experiência ou treinamento na área, talvez o voluntariado para ensinar inglês não seja o ideal.

Pense nisso desta maneira: você gostaria de alguém com a sua experiência oferecendo esses serviços aos seus entes queridos?  Se a resposta for não, reconsidere essa colocação em particular e procure por algo mais próximo do seu perfil e experiência.

Embora existam refugiados no mundo todo que precisam de muita assistência, eles ainda têm direito a cuidados seguros e profissionais como todo mundo. Se você não possui um conjunto de habilidades mais profissional, considere se voluntariar para trabalhos de manutenção ou de suporte para alguém com mais experiência.

Por exemplo, se você não tiver a experiência necessária para ensinar inglês, como  nativo, você poderia ser um excelente parceiro de conversação ou poderia ajudar um professor certificado que supervisione seu trabalho. Certos programas também procuram professores que possuem outras habilidades como TI e informática para os refugiados.

Além disso, muitas pessoas podem prestar assistência administrativa, como atender chamadas telefônicas e fazer cópias. Não é glamuroso, mas é um trabalho que precisa ser feito. Pense nisso desta forma: toda e qualquer tarefa que você fizer, por mais simples que pareça ser, vai tornar mais fácil e rápido o acesso dos refugiados para os serviços que eles tanto precisam.

 

Lembre-se de seu papel


Embora seja tentador tentar ajudar toda pessoa que você encontrar, ainda mais levando em conta todas as questões que envolve os refugiados, esse não é o seu foco. Se você tentar assumir demais, você não vai apenas se prejudicar, mas você também pode acidentalmente criar problemas para as pessoas que você está tentando ajudar, como criar falsas esperanças ou fornecer informações imprecisas.

Se um problema estiver fora do seu alcance, informe a pessoa que você irá buscar ajuda e  que depois irá retornar para ela. Isso garante que a pessoa que você esta ajudando só receba as informações mais precisas e atualizadas e que obtenha cuidados de alta qualidade.

Muitos refugiados estão lidando com uma grande quantidade de obstáculos, doenças físicas, desnutrição, desemprego e traumas psicológicos. Estes são grandes problemas que requerem assistência profissional, e se você não tem o conhecimento certo, pode machucar acidentalmente mais do que ajudar.

20140206-in-pictures-car-Main-4

Refugiados em Camarões, África Central

 

Cuide de você


Toda viagem sempre exige muito do seu corpo e mente, e quando você adiciona voluntariado em uma população vulnerável, o impacto é mais significativo. Você provavelmente verá e ouvirá histórias perturbadoras de experiências perigosas ou injustas, e isso pode fazer com que você se sinta desgastado, sem esperança ou chateado. Na sua forma mais grave, isso é conhecido como trauma secundário, e pode afetar aqueles que trabalham com populações de refugiados.

Os sintomas podem ser semelhantes ao transtorno de estresse pós-traumático, mas mesmo as pessoas que não têm uma experiência grave provavelmente continuarão passando por emoções intensas. Algumas pessoas se sentem egoístas por se preocuparem com elas em vez de se preocuparem com as pessoas pelas quais você foi ajudar, mas lembre-se da metáfora da máscara de oxigênio dentro do avião: se você não tem  a sua máscara, não pode ajudar ninguém.

A melhor coisa a fazer é ser pró-ativo sobre sua saúde emocional e não ser muito rígido com você mesmo: é completamente normal ficar chateado ao ouvir sobre o que os refugiados estão passando.

As coisas que fazemos intencionalmente para cuidar do nosso bem-estar físico e mental são conhecidas como auto-cuidado. O auto-cuidado pode assumir uma série de formas, como a de comer uma comida favorita, sair com amigos ou escrever. Certifique-se de exercer ainda mais o auto-cuidado enquanto trabalha com refugiados, uma vez que o trabalho provavelmente será uma drenagem emocional. Lembre-se, você faz o seu melhor quando você cuida bem de si mesmo!

 

Faça a diferença


Embora todas as oportunidades de voluntariado sejam grandes, os refugiados são uma das populações mais vulneráveis e, portanto, precisam de maior apoio. Onde quer que você acabe sendo voluntário e em qualquer capacidade, lembre-se de que você tem uma ótima oportunidade de fazer algo de bom no mundo e aprender muito no processo.

Embora tal crise global possa parecer esmagadora e assustadora, é o trabalho coletivo de pessoas do todo o mundo, como você, que acabará fazendo a diferença.

Outras informações

Se você quiser saber como ajudar os refugiados de todas as formas possíveis, mesmo a distância ou a partir de doações, clique aqui!

Se você quiser saber como ser voluntário em diversas outras iniciativas além de refugiados, clique aqui!

 

Croácia

Voluntário com refugiados na Croácia

 

Se tiver mais alguma dúvida, é só me escrever!

 

 

 

Fontes:

https://www.gooverseas.com/blog/how-to-volunteer-abroad-with-refugees

https://www.rescue.org/volunteer

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s